Se eu existir, matem-me
29/05/2008
 
Casey Coot sells his deed to Scrooge McDuck

 
26/05/2008
  A ponte...

 
  A importância de ser “AB”

Eis o “A” primeiramente ao “B”. Porventura o “A” é mais importante que o “B”?
Será o “B” a imagem da verdade e por isso ser o fim? Eis o macaco das letras. Eis o pacificador. Eis a alma do “A”. O “B” é o limite da montanha onde o “A” lá no alto se chora a rir. Chora porque não passou a ponte. Talvez seja o facto de ser o primeiro. O primeiro é a ponte para atingir o fim. O “B” é o redentor. O criador. Mas falemos do “A”. Quais as suas ilusões, os seus objectivos? Não será a metamorfose do espírito? Isto é, a transformação de um estado num outro estado, este nu? O “A” aspira a “B” e no entanto não se transforma em “B”. O “A” sente-se “B” mas não é “B”. Terá que primeiramente aprender a ser “B” e só depois poderá render-se a ser “B”. E quando chegar a ser “B”, perturbar-se-á, ao mesmo tempo que imagina as suas cores passando pelo limbo, a ponte, por um abismo inocente. Eis que “A” atinge “B”. Atinge “B”, e contudo não será “B”. E “B”, ri agora, pois “B” é inexpugnável, único e mister. “B” que passou de uma simples letra, segundo, na hierarquia do alfabeto, vê-se agora como o inalcançável. “A” e “B” são agora parte de um mesmo espírito. E eis que os homens os separaram. Os homens, os mais macacos que os macacos, os cabos da suportação da ponte, são na sua essência mais primitiva, os porquês do “A” primeiramente ao “B”… 
18/05/2008
  PRECE

Senhor, a noite veio e a alma é vil.
Tanta foi a tormenta e a vontade!
Restam-nos hoje, no silêncio hostil,
O mar universal e a saudade.

Mas a chama, que a vida em nós criou,
Se ainda há vida ainda não é finda.
O frio morto em cinzas a ocultou:
A mão do vento pode erguê-la ainda.

Dá o sopro, a aragem - ou desgraça ou ânsia -
Com que a chama do esforço se remoça,
E outra vez conquistaremos a Distância
— Do mar ou outra, mas que seja nossa!

Fernando Pessoa 
 
Um microondas, um frigorífico, dois garrafões de água, um vazio e outro meio cheio e dois pacotes de leite semi vazios ou semi cheios e meio caducados: Eis a essência de Zaratustra... 
 
The dawn of a new age

 
Se um beijo é um erro estatistico, o amor é uma sombra chula

Arquivos
2003/07 - 2003/08 / 2003/11 - 2003/12 / 2003/12 - 2004/01 / 2004/03 - 2004/04 / 2004/04 - 2004/05 / 2004/06 - 2004/07 / 2004/07 - 2004/08 / 2006/11 - 2006/12 / 2007/02 - 2007/03 / 2007/11 - 2007/12 / 2008/01 - 2008/02 / 2008/05 - 2008/06 / 2008/08 - 2008/09 / 2008/12 - 2009/01 / 2009/01 - 2009/02 / 2011/04 - 2011/05 /


Powered by Blogger