Se eu existir, matem-me
26/04/2004
  A paixão existe no espaço temporal, onde as almas vagueiam sem razão aparente. Aparente porque não há certezas. Assim, apaixão torna-se um veículo para a invenção do amor.
Toda a invenção, é o quebrar das regras e simultâneamente reinscrição de novas regras, para novamente as quebrar, entrando-se num paradoxo, o Paradoxal Human Being Theory (PHBT).


wolcit 
Se um beijo é um erro estatistico, o amor é uma sombra chula

Arquivos
2003/07 - 2003/08 / 2003/11 - 2003/12 / 2003/12 - 2004/01 / 2004/03 - 2004/04 / 2004/04 - 2004/05 / 2004/06 - 2004/07 / 2004/07 - 2004/08 / 2006/11 - 2006/12 / 2007/02 - 2007/03 / 2007/11 - 2007/12 / 2008/01 - 2008/02 / 2008/05 - 2008/06 / 2008/08 - 2008/09 / 2008/12 - 2009/01 / 2009/01 - 2009/02 / 2011/04 - 2011/05 /


Powered by Blogger